Connect with us

Conheceu o seu herói Phelps em 2008. Agora roubou-lhe o ouro nos Jogos Olímpicos

Incrível

Conheceu o seu herói Phelps em 2008. Agora roubou-lhe o ouro nos Jogos Olímpicos




Aos 13 anos, Joseph Schooling tirava uma foto com o seu ídolo em Singapura. Ele inspirou-se em Phelps e agora bateu-o nos Jogos Olímpicos.

Em 2008, Joseph Schooling, um menino de 13 anos apaixonado pela natação, conhecia o seu herói. Ele chamava-se Michael Phelps e era um gigante sorridente, que semanas depois arrecadaria oito medalhas nos Jogos Olímpicos de Pequim, ao pé do rapazinho de óculos de ar ligeiramente atordoado na fotografia que tiraram juntos. Fast forward para 2016 e os dois voltaram a estar lado a lado numa fotografia: a do pódio olímpico, no qual Joseph Schooling subiu mais alto do que o seu herói.

O atleta de 21 anos recebeu o ouro, o primeiro da história para Singapura, nos 100m mariposa e bateu Phelps, que se ficou pela prata na última prova individual da sua carreira.

fbdfbdfbdfb

Duas fotografias separadas por oito anos estão a correr mundo através das redes sociais – Phelps acabado de sair da piscina em Singapura, Joe acabado de subir ao pódio com Michael, sorridente, ao seu lado. Schooling conheceu-o pouco antes de Phelps estabelecer o recorde olímpico nos 100m mariposa em Pequim em 2008. Com 50,39s, Joseph Schooling bateu esse recorde oito anos depois nos Jogos do Rio, com Phelps na mesma piscina.

“Quando era miúdo queria ser como ele”, disse o jovem atleta de Singapura. “É uma loucura pensar no que acontece em oito anos”, disse Schooling, citado pelo New York Times, sobre o percurso que o levou até ao Rio de Janeiro e aos Jogos Olímpicos, onde brilhou na madrugada deste sábado. “Muito disto é por causa do Michael”, admite. “Ele é a razão pela qual eu quis ser melhor nadador.”

 

1068234

Em Pequim, Phelps (que já tinha conquistado seis títulos olímpicos em Atenas) deu mais um passo rumo ao seu recorde actual, o de atleta com mais medalhas de ouro da história. Naqueles dias de 2008, o nadador e o resto da selecção americana foram ao clube onde Schooling treinava. Manhã, cedo, e Joseph nem estava a nadar – estava a escrever um trabalho para a escola.




“Toda a gente veio ter comigo a correr e dizia ‘É o Michael Phelps! É o Michael Phelps!’ e eu queria mesmo uma fotografia”. Ela aconteceu: “Eu estava tão chocado que nem conseguia abrir a boca”, recorda.

 

As memórias de Phelps são mais descontraídas. “Impressionou-me porque à volta da piscina [do clube de natação] era só macacos, que nos roubavam as barras energéticas. Os macacos voavam pelas ruas. Ainda me lembro deles, pareceram-me espectaculares”.

No meio de tantas provas, centenas de atletas e do frenesim em torno de Phelps, Joe Schooling é também, no sentido estritamente desportivo, um vencedor inesperado. Treinado pelo espanhol Sergi López, é um atleta de alto nível, mas não era favorito e não acredita no que lhe aconteceu. Acabou no cimo de um pódio particularmente recheado, visto que Phelps partilhou a prata com os seus rivais Laszlo Cseh e Chad le Clos, nomes grandes da modalidade. Os quatro abraçaram-se na água, rindo.

1068236

Mais tarde, Michael Phelps ia ajudá-lo a lidar com as emoções. “Não acho que esteja sequer perto [do nível] destes três tipos que estão mesmo ao meu lado, só tive um dia bom”. Como relata o Guardian, quando agradeciam ao público em torno da piscina, o nadador de Singapura disse ao seu ídolo: “Meu, isto é uma loucura, não é deste mundo, não sei como me sinto neste momento”, para que Phelps lhe sorrisse, como nos filmes, “Eu sei”.

 

Fonte: publico.pt

Facebook Comments
Continue a Ler..
You may also like...
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Em Incrível

To Top